ONLINE
10




Partilhe esta Página

ACITEL

s

sr

 

AWEF

b

S

D

ds


DR. ANDRÉ CORAIOLA, TB, E EXPECTATIVAS
DR. ANDRÉ CORAIOLA, TB, E EXPECTATIVAS

Advogado, presidente do IDF, e historiador, e a cidade nos 60 anos!

2024-03-21 às 08:49:24) Nesse ano, em decorrência de uma data ainda mais especial ao município de Telêmaco Borba, em decorrência de seus 60 anos, também uma pauta pré-elaborada com o historiador, escritor, advogado, e presidente do IDF – Instituto Dr. Feitosa -, Dr. André Miguel Sídor Coraiola.

 “Novamente, um prazer falar a você, um prazer falar a todos, numa data especialmente diferenciada e do município que você reside e que tem pertencimento, e que completa sessenta anos. Te agradeço pela primazia do convite, e vou procurar colaborar com as respostas, da melhor maneira possível”.

Diferente das vezes anteriores, em que deu sua contribuição em entrevistas ao Oberekando, e levando em consideração ser ele, também historiador, o Oberekando trabalhou com pauta pré-estabelecida, aprofundando com isso, na significância ainda maior, da idade alcançada pela Capital do Papel.  

 

  • Qual a contribuição da Família Coraiola à TB?... Sabemos e somos gratos, mas queremos lhes deixar a vontade, para termos sua própria avaliação 

“Acho que nossa família é imperativa na cidade, e estamos ai quase a idade da cidade. Me recordo, sou de 1971, a cidade é um pouquinho mais velha que eu, mas muito pouco, e o pai (Dr. Ricardo) e a mãe (Dona Mariazinha) vieram para cá, por escolha deles. O pai acreditou na Klabin, e veio, e foi o único emprego da vida dele. Se aposentou e continuou trabalhando lá, até morrer”. Ricardo, natural de Curitiba, e a professora Mariazinha, de Castro. Foi, disse, o primeiro engenheiro químico do grupo, ajudou a alavancar a Companhia, “e a mãe, junta, foi professora por mais de 30 anos, e acho que entre 20 e 30 mil alunos passaram por ela... pelas mãos dela”, na disciplina de Biologia, e tendo sido diretora e vice-diretora do então Colégio Estadual Manoel Ribas. “Estudei lá! Fui aluno dela, do primeiro dia de aula do Ensino Fundamental até o último, do Ensino Médio. E minha irmã, médica, Dra. Maria Paula, a Clínica do Rim, e eu, advogando por 28 anos, e depois, acabei por me dedicar ao Hospital, e somos o Hospital de Telêmaco e região, e atendemos ricos e pobres, sem distinção, e acho que temos alguma importância, por menor que seja, mas uma importância qualificada, que eu não tenho nenhum receio em afirmar, porque me sinto pertencendo à Telêmaco Borba, escrevi a história do município. Me eternizei com o livro ‘Capital do Papel – A História do Município de Telêmaco Borba’, e eternizei a todas as pessoas que fizeram parte desta história. Comemorar 60 anos, é comemorar minha própria família. Obrigado pela pergunta”.

 

  • Se você fosse detentor do poder imediato, de dar à TB um presente de aniversário, qual seria?

Poderes absolutos? Primeiro ... se eu tivesse poderes divinais, eu acho que colocaria de volta certas personalidades, naquelas cadeiras faltantes, de um 31 de dezembro... de um Natal. Eu acho que a cidade perdeu muito de seu estofo moral, de sua reserva moral. Muitas perdas que, realmente, a gente poderia ter aproveitado melhor estas pessoas”.

No entanto, se forem poderes absolutos, humanos, “talvez, se me fosse dado de fato esta possibilidade, fazer com que as pessoas fossem mais solidárias com o cotidiano da cidade”.

Sendo a cidade uma representatividade regional, vê Coraiola que poderia ter mais esforço em participar, e vê, por vezes, as pessoas muito críticas, sendo opinativas de forma negativa, não se interessando pelas coisas da cidade, que refletem na qualidade de vida de cada um.

 

  • Como o senhor avalia que TB é vista hoje, quanto ao progresso intelectual da população, pelo povo do Paraná?

“Acho que Telêmaco é muito conhecida ao longo destes 60 anos de emancipação política. Ela tomou um contorno bastante volumoso, mas eu ainda vejo que Monte Alegre continua um pouco mais conhecida, e tenho a impressão que Telêmaco Borba, a cidade da Klabin, ainda impera muito forte, mas eu diria que Telêmaco está dando passos largos. Passos largos do ponto de vista intelectual e cultural, lento. Mas do ponto de vista esportivo, vejo grandes saltos”, lembrando Anderson Valério com a ADTB, Gabriel Fly e Danilo Rodack, nas artes marciais, Érick Tobera que foi medalhista paraolímpico, e Thiago Kosloski, bem como Ciro Campos Neto, da ESPN: “Eu acho que são presentes que Telêmaco Borba ganha em seus 60 anos, aplaudir seus melhores cidadãos do esporte, que são realmente, sensacionais, diferenciados, e que merecem ser amplamente reconhecidos”.

Vê também, que áreas como o ramo madeireiro, a silvicultura, o agro, com a imersão dos jovens; é algo que pode ser explorado, e os tornando também talentos, e sendo promissores. Escolas neste sentido, para Telêmaco! “São áreas que eu acredito, não foram ainda, bem exploradas. “Vai além do Senai, vai além das engenharias! Eu acho que a gente deveria simplificar um pouco, esta questão da Educação”, e não necessariamente a Superior, mas a Técnica, por serem cursos de menor tempo e que produzem mão-de-obra razoavelmente bem remunerada, “e que dão respaldo à indústria, ao comércio e aos serviços, e ensinam as pessoas a de fato, serem empreendedoras”, que ele falou que, parece ser fácil, mas não é, e que tais noções, não se adquirem vendo tão somente no Tik-Tok. Fez menção honrosa às empresas de Telêmaco, citado por este Site, além da Klabin, também a BrasPine, a Kemira, dentre outras, e com verdade, mas bom humor, André neste momento, disse que ainda seria uma alegria muito grande à TB, ter recebido o Projeto Puma, sem nenhum demérito à amiga cidade de Ortigueira.

Com a entrevista sendo gravada nas dependências do IDF – Instituto Dr. Feitosa, também, por obviedade e prazer, fora comentado desta importante instituição hospitalar, de onde, ele é presidente: “O IDF é hospital de dimensão regional. São 250 funcionários e 60 médicos, e atendemos 300 mil pessoas. Atendemos o plano de Saúde da Klabin. Atendemos a urgência e emergência Samu Regional e Bombeiros, atendemos o Sus. É importante as pessoas perceberem a importância do hospital da cidade, porque o Sus é subcusteado há 20 anos. Nós atendemos pobres aqui, de Telêmaco e região – pobres digamos assim, que não têm condições de possuir um plano de saúde -, é porque nós atendemos planos de saúde e nos utilizamos dos recursos aferidos com a utilização destes planos, pra custear o Sus”. A notícia que alegrou a este jornalista que aqui escreve, é saber que o IDF é gêmeo do Site Oberekando, pois ambos, fazem 10 anos em 1º de abril! Já, o entrevistado, teve seus 10 anos à frente da unidade hospitalar comemorados por volta do dia 20 de fevereiro último.

 

  • TB, em sua opinião, valoriza com certeza, ou esquece com rapidez, as pessoas que deram sua contribuição à cidade, sejam as vivas ou as já falecidas?

“Olha, eu quando pesquisei a história para escrever o livro, eu tive muita dificuldade, para localizar a história das pessoas da cidade, então isso me leva a acreditar que cidade não tem uma tradição moral de valorizar... uma tradição escrita de valorizar os seus antepassados, até porque é uma cidade bastante recente... é uma cidade de 60 anos”. Lembrou que muitos klabianos, já aposentados, que muitos da elite moral de Telêmaco, infelizmente, “moram em qualquer lugar, menos em Telêmaco, hoje”.

 

  • As empresas são as responsáveis por possibilitarem chegar o pão na mesa da população, por possibilitar a ela, empregos! TB hoje, está dando, mais boas-vindas a elas, ou nem se quer as oportunizando em vir, para investir?

“Oportuniza... oportuniza sim! Talvez a cidade seja menos procurada pelas empresas, do que deveria ser! Se estivesse um pouco mais próxima da Rodovia do Café! Isso sem nenhum desprestigio ao município de Imbaú”. Sem nenhum descrédito, mas historicamente falando, o maior erro político-estratégico, à época, foi abrir mão do distrito de Imbaú, que era nossa maior ligação com o restante do Estado, analisou ele.

 

  • Faça um raio x, olhando daqui há 20 anos, os aspectos econômicos, tecnológicos, culturais e de bairrismo (do amor do povo à cidade) como estarão em TB. O que uma cápsula do tempo com desejos hoje se fossem depositados à Telêmaco, seriam realidades e realizados, se ela fosse aberta em 2044?

Ao ser perguntado se teremos vários conjuntos residenciais privados, como é comum em municípios outros, vê que não, e sim, que Telêmaco vai crescer para cima, e isso também pelo montante de reflorestamento que compõe a cidade, vindo a ter prédios. Fez um comparativo de vinte anos atrás com os dias atuais e um enorme avanço realizado. “Talvez daqui a 20 anos a gente possa falar em uma cronologia de 200 anos em nosso tempo”. Vê que olhar ao passado, futuramente, será a conclusão de exemplo a ser, ou a não ser seguido, “porque quem não olha para o passado, erra muito. Vive muito mal o presente, porque incorre no risco de errar novamente”.

 

  • Qual seu grau de incômodo, quando em rodas de conversa, amigos de outras cidades, se referem à Telêmaco, como Texas Borba?

Ao referir-se aos seriados e filmes de bang-bang do estado dentro dos Estados Unidos, que faz fronteira com o México e suas realidades, ai vem o apelido. De forma bem humorada disse que é aceitável tal termo, “se for no meio de uma cerveja... vamos dar risada, porque nós temos que reconhecer certas coisas obvias ai. Libera uma certa violência, as vezes até pela falta de empregabilidade e de interesse”.

Ao encerrar a entrevista, comentou do legado a que se propõe, e também: “Não tenho inveja das pessoas. Sou satisfeito pelo que eu tenho. Não é muito, mas sou satisfeito! E sou cioso pela minha alto-responsabilidade neste ecossistema de saúde, aqui em Telêmaco. Então, eu sou muito grato à Telêmaco por tudo que eu tenho, e pelas oportunidades que a cidade me deu”. Disse a todos, que se deve apostar na cidade!

“Um abraço a todos, e obrigado pelo carinho. E vamos comemorar estes 60 anos de Telêmaco, olhando adiante. Nós precisamos ter segurança administrativa e governamental aqui em Telêmaco para garantir um desenvolvimento equilibrado, reto, sem riscos... eu diria então que os próximos anos vão valer por 200 anos! Quem não acreditar, um dia pode até pegar esta nossa entrevista (gravação em vídeo no Oberekando), e assistir, e realmente vai ser diferenciado! Um abraço a todos e a Telêmaco Borba, e a toda a população da cidade, pelos nossos 60 anos de emancipação administrativa! Sucesso à vocês! ”.

--

LEIA TAMBÉM:

DR. IVO BONA, DA LIRA, E TANTAS JORNADAS: Advogado, professor, político e empresário, no batente desde os nove anos

BARBOSA DO SOM, A SAGA CONTINUA... A continuidade na trajetória na música e incentivo aos novos artistas

--

E VOCÊ ESTÁ MAIS QUE CONVIDADO, NO TEATRO MAESTRO SIRINHO, DIA 06 DE ABRIL!