ONLINE
19




Partilhe esta Página

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

D

S

C

S

S

S  

D

 

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

S


PADRE ALCIDES FALA AO CORAÇÃO DOS CURIUVENSES
PADRE ALCIDES FALA AO CORAÇÃO DOS CURIUVENSES

Neste tempo de pandemia, pedido de maior atenção as regras epidemiológicas, compreensão, família e cuidados com a internet

s

2020-07-17 às 15:25:29) Um agradável diálogo na quarta-feira (15), com o pároco Alcides Andreatta, trouxe diversos temas em voga, e especialmente, neste momento de pandemia, como lidar com um novo normal. Também, a observância de decretos que têm como objetivo a contenção do vírus na cidade de Curiúva, as relações familiares mais latentes e cuidados dos responsáveis com a grande exposição dos filhos – crianças e adolescentes à internet e redes sociais. Foi feita fala especial aos profissionais da Saúde. Padre Alcides é o responsável pela Paróquia Divino Espírito Santo, que possui 22 comunidades.

Ele, nascido em Santo António da Platina, em 23 de agosto de 1968, foi adotado pela cidade de Curiúva quando tinha em torno de sete anos, vindo para a localidade de Alecrim. Sua ordenação sacerdotal deu-se em 30/01/98 e trabalha na cidade em que cresceu, desde 18 de fevereiro de 2016.

 

VAMOS NOS CUIDAR E RESPEITAR AS ORIENTAÇÕES DAS AUTORIDADES SANITÁRIAS!

Desta pandemia; por mais que o tema esteja quase que saturado de tanto ser falado pelos meios de comunicação, vê-se que nunca é demais, “pois trata-se de uma situação séria, complexa, gravíssima e todos sabem que a ciência, embora esteja debruçada e também em pequeno tempo, ainda não tem algum sinal verde, pelo menos provisório, neste sentido”.

Até que a vacina aconteça, tem que se fazer “aquilo que as autoridades sanitárias têm nos orientado e pedido, que é a higienização, o uso de máscara, o isolamento. De fato, são todas as situações que fomos pegos de surpresa”.

Ao passo que muitos estão percebendo a seriedade do momento, tem gente que ainda está levando a base da brincadeira e achando que se trata de coisa inventada. A palavra, pela ótica cristã, trazida por ele, remeteu-se à Bíblia: “Coragem, eu venci o mundo! Então não tenhais medo porque eu estou contigo! ”. Para o padre, a fé dá a todos, o compromisso de cuidar de si próprio e cuidar dos outros: “Por causa disso, também têm pessoas vulneráveis, precisando da sociedade. Então, não fechar as mãos, e o coração, os olhos e os ouvidos, para as necessidades dos irmãos e irmãs”.

Uma vida frenética estava sendo a realidade antes da pandemia, e para ele, dizendo que poderia exagerar ao citar, o foco das pessoas era de conquistar coisas. “Na história da humanidade, o ter e o poder são coisas que seduzem o ser-humano”, e por vezes, disse ele, “ficamos focado em umas coisas, deixando outras perecerem”, e neste caso, o “ter” estava prevalecendo sobre o “ser”.

 

A PARÓQUIA EM TEMPOS DE CORONA

Na paróquia, disse que está sendo observado os 30% da capacidade presencial nas atividades. Nas comunidades, como são grupos menores, as celebrações estão se dando fora do templo, com ventilação, ambiente aberto e todos os cuidados, conforme preconizam os Governos Estadual e Municipal. Observou também o respeito que será dado ao decreto do gestor municipal para o fechamento geral no final de semana, em decorrência do aumento dos casos. Serão feitas transmissões pelo Rádio e pela internet. Já, no aspecto de solidariedade, disse que “a paróquia está estendendo as mãos, pelas mãos estendidas da comunidade, às pessoas que estão pedindo socorro, tentando ajudar na medida do possível”.

 

FAMÍLIAS, PERIGOS DO MUNDO DA INTERNET, RESPEITO AOS PAIS

O sacerdote lembra que agora aos jovens e especialmente, aos adolescentes, as aulas estão acontecendo de um modo virtual. O fato de estarem em casa, são testados na capacidade de viver e conviver, que é um exercício de compreensão, aceitação, diálogo, e de negociação, para que haja uma convivência harmoniosa: “Agora se faz necessária bastante abertura do coração, de pais e filhos. Dialogar, se entender e buscar bom senso, que é o caminho para a boa vivência”.

Neste sentido, chama a atenção para os cuidados quanto a internet, “que é uma ferramenta muito boa, que tanto serve para libertar como para escravizar, como para promover a vida, como para denegrir a vida. Para salvar e para matar as pessoas, talvez não fisicamente, mas, quando destrói as pessoas com monte de conteúdo, com coisas da internet que não são saudáveis”. Ele indica fazer o uso dessas ferramentas, de forma saudável, de maneira sadia, citando-a como “moeda de duas faces”.  

 

MENSAGEM AOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE

“Sempre, mas nesse momento, vejo que é uma missão muito desafiadora e vejo esse serviço dos homens e mulheres do campo da Saúde como sacerdócio. Estão ali a serviço da vida”. Em cidades, muitos profissionais estão abdicando do convívio familiar para poder estar ali mais inteiramente a serviço do cuidar da vida, de salvar, enfim”. Ele disse, especialmente aos profissionais de Saúde de Curiúva, que em suas orações, tem pedido que no dia-a-dia, Deus dê forças, que Deus ilumine e Deus dê a sabedoria e os ampare na sua graça.

Ele, que saiu de Curiúva entre seus dezessete anos de idade, para ingressar ao seminário, tem hoje padre Cleiton, junto a ele, nos trabalhos paroquiais.

A entrevista na íntegra, abaixo, foi encerrada com uma bênção especial aos profissionais da saúde e às famílias que tiveram perda de ente querido, para essa enfermidade.

--

D