ONLINE
9




Partilhe esta Página

S

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

D

S

C

S

S

S  

D

 

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS


OAB: NÃO À VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES

Ato marcou a Campanha do Lenço Branco, em frente ao prédio do Fórum

2019-12-06 às 19:16:40) A presidente da Subseção da OAB de Telêmaco Borba, Dr. Andreia Toledo, esteve nas primeiras horas da tarde desta sexta-feira na sede do Fórum de Telêmaco, onde os advogados que compõem a entidade, fizeram uma manifestação em apoio a não violência contra as mulheres.

O dia 06 de dezembro é conhecido mundialmente, por dar ápice a esta causa, chamada de Campanha do Laço Branco, onde os homens fazem o apelo ao fim desta barbárie contra as mulheres.

Para o vice-presidente Leandro de Castro, a população tem uma falsa impressão de que os advogados fomentam ou querem o conflito. Pelo contrário: a nova linha de atuação da OAB a nível nacional, estadual e da nossa Subseção, é de fomentar a conciliação e não há interesse nenhum no conflito”. Esta causa de combate a violência contra a mulher é de todos nós, e não só da OAB, mas de toda a sociedade. “Que este mal que assola o nosso país seja combatido com toda a força!”.

Comungando deste mesmo viés, o Dr. Marco Antonio Joaquim, na função de secretário-geral adjunto do órgão: “A OAB não poderia se furtar dessa oportunidade, como instituição, e os advogados, como membros da sociedade”. Ele disse que a OBA está presente na sociedade e com os advogados, são as primeiras pessoas que atendem esses casos para solucionar o problema e acompanhar todo processo judicial nesse caso. Ele também percebe essa disseminação da violência contra a mulher, e infelizmente, isso no Brasil, e isso é muito preocupante”.   Um dado alarmante é que, embora a violência no Brasil esteja em queda, percentualmente, mas no quesito ora discutido, ela tem aumentado. Não se tem a violência contra a mulher, como apenas contra ela, mas contra a sociedade, atingindo todos os direitos fundamentais.

Este evento na visão do advogado criminalista, André Coraiola, é simbólico, porque coloca os homens no combate às causas pela diminuição da violência contra a mulher.  Ele fez, enquanto advogado, mas também como gestor de um hospital, exercendo a presidência do IDF (Instituto Dr. Feitosa), e conseguindo observar os dois lados: “Um problema social bastante intenso, calcado realmente em questões culturais e de machismo. Em questões de mera discordância e mera desinteligência, e o homem pelo seu porte físico, tende a prevalecer em uma contenda”. Por outro lado, frente ao hospital, é possível ver nos casos de pronto atendimento, que chegam em decorrência de crimes contra a mulher. Não são raros, segundo ele, devido a isso, pessoas que chegam graves por vezes, e após se sabe, que foram casos de feminicídio.  Disse ele que é necessário que se veja que a desinteligência que possa haver ente homem e mulher, ou seja discutida na justiça ou no bom-senso. Por fim, Coraiola disse, que mesmo que hoje com a facilidade de se encontrar o apoio de um advogado, ainda isso não for possível, que a mulher, vítima desta afronta, procure pelo seu líder religioso, pela pessoa com mais idade na rua onde mora, ou alguém que lhe possa estender a mão, num primeiro diálogo.

 

SAIBA MAIS!

D

O Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres foi estabelecido no Brasil pela Lei nº 11.489, de junho de 2007.

Neste dia 06, a OAB Nacional relembra a importância de impulsionar a campanha do Laço Branco.

Mais de 60 países estão juntos, atuando pelo fim da violência contra mulheres e meninas, pela igualdade de gênero em todas as esferas, por relacionamentos saudáveis e pelo fim de comportamentos machistas e sexistas enraizados na sociedade.