ONLINE
10




Partilhe esta Página

D

DFF

d

ACITEL

s

sr

D

S

S

S

AWEF

S 

D


O NRE DE TELÊMACO E NECESSÁRIOS TEMAS
O NRE DE TELÊMACO E NECESSÁRIOS TEMAS

Os desafios em tempos de pandemia, a positiva fusão Manoel Ribas Wolff, os avanços, o não à ideologização em sala de aula e o não partidarismo nos estabelecimentos

s

2022-06-15 às 10:12:55) Na tarde de anteontem, a entrevistada do Oberekando foi a chefe do Núcleo Regional de Educação, professora Sueli Aparecida Martins. Além do período mais crítico da pandemia e as aulas on-lines com desafios impostos a tantos profissionais, e nisto incluindo os docentes, focos foram também, o sucesso que se vê na fusão do Colégio Manoel Ribas ao Wolff Klabin, a parceria com Klabin do Paraná, e temas mais delicados, como a prevenção em sala de aula, de doutrinação política e ideológica, e como será o procedimento dos colégios quando se iniciar o período de campanha eleitoral, que se aproxima.

 

A PANDEMIA

A entrevista foi iniciada, exaltando a verdadeira entrega dos professores em prol de sua vocação, no difícil período de pandemia, aonde, tal qual esforço dos profissionais da Saúde, os docentes se empenharam na nova experiência, e primeira para alguns, de aulas online, e assim, deram continuidade ao trabalho: Ela disse que não se sabia como se proceder na entrada da pandemia, mas isso fora uma situação nova, e foi “muito ruim para todos,  perdemos muitas vidas, mas por outro lado, em termos de Educação, a gente cresceu. Nós nos unimos muito mais, e tivemos um crescimento tecnológico, que na Educação, realmente, estávamos precisando. Serviu pra gente pensar que todos nós somos capazes de fazer as mudanças naquilo que é necessário”.

 

NOVA SEDE DO NRE

Hoje a sede do Núcleo está localizada na antiga Escola de Aplicação, ou seja, anexada ao Colégio Wolff Klabin: “Para termos esta sede, foi uma luta de anos, pois tínhamos este espaço, mas ele tinha que passar para o nome do NRE. Houve duas licitações para as obras de adequação do espaço, e a primeira, a empresa abandonou porque teve problemas de caixa, e na segunda licitação estivemos próximos de chegar aos 95% da obra concluída”. Como faltam ainda algumas coisas, uma inauguração não se deu. Uma terceira licitação se dará, para a conclusão, mas para a professora, já se trata de uma grande conquista, pois são raros os Núcleos, que têm sede própria.

 

PARCERIA JÁ DURADOURA COM A KLABIN

“Esta parceria com a Klabin já vem de anos, desde a primeira vez que eu fui chefe (do NRE) lá em 1995. Sempre tivemos uma parceria muito grande com a Klabin! Sempre foi no apoio pedagógico! Aí, nós tivemos em 2012, também, citando até 2016, por exemplo, o convênio possibilitado com a empresa Falconi”, enaltecendo o ganho adquirido em tutoria, graças à Indústria, que entrou com o capital, para que isso fosse possível.

 

FUSÃO DO MANOEL RIBAS AO WOLFF KLABIN

E eis que chega o momento de se encerrar as atividades do Colégio Manoel Ribas em Harmonia, mas jamais se perdeu a história lá construída. Comentou a professora, que o patrimônio, e a propriedade fazem história, que de fato, é consolidada com as pessoas. Mais uma vez, e essencialmente, a parceria com Klabin do Paraná!

Sueli lembrou que esta mudança, a fusão, muitos não acreditavam fosse possível, e que inclusive, recebeu uma vaia na época, em um evento público, com mais de 300 pessoas, logo depois de anunciada a desativação em Harmonia. Uma preocupação premente dela, era que o trânsito de veículos do trecho entre Telêmaco até a Fazenda Monte Alegre, aonde se localizada o Colégio Manoel Ribas, foi se intensificando, e a preservação da segurança dos alunos neste deslocamento, fora crucial para a decisão. “E eles vieram para ficar aqui junto com os alunos do Wolff, e tudo aquilo que falavam em termos que os alunos não se dariam bem... Foi maravilhoso! Os alunos se aceitaram, projetaram uniforme! Eles fizeram (e fazem) do Wolff Klabin e Manoel Ribas, uma outra história”. O laboratório de robótica, recém entregue, fora a conclusão das obras, além de todas as salas com ar condicionado, dentre tantos outros ganhos: De uma primeira, incerteza dos pais e alunos do que daria a cabo a unificação, uma lista de espera de pretendentes a vagas como alunos, já é realidade lá.

Martins fez questão de exaltar o profissionalismo da professora Ionara Jakovacz, que assumiu a direção, e num momento que não foi fácil a ninguém, de peito aberto; essa transição: “Uma transição bastante complicada para todos, porque nós tínhamos professores do Manoel Ribas, professores daqui (Wolff), mas todos se aceitaram e estamos fazendo uma educação de qualidade”.

 

COMO O NÚCLEO VAI AGIR COM DENÚNCIAS DE DOUTRINAÇÃO EM SALA DE AULA?

São por vezes, recebidos pelos meios de comunicação de Telêmaco e da região, denúncias de doutrinação em sala de aula, em estabelecimentos sob jurisdição do NRE. Perguntada, como será a ação do Núcleo, ela respondeu: “Quando a pessoa se sente doutrinada, ou aluno, ou na conversa disto com os pais, ou eles vêm até o Núcleo, ou eles façam uma denúncia na Ouvidoria. Daí fazendo isso, nós vamos investigar, porque nós não podemos fazer nada se não houver uma denúncia”. O Oberekando fez questão de questionar, se não existe em hipótese alguma, o perigo da quebra do sigilo da denúncia e o aluno ser perseguido pela escola ou professor, e ela garantiu que haverá todo cuidado e ética seguidos neste caso, e que a comunidade estudantil, possa se tranquilizar quanto à isso.

PROPAGANDA EXACERBADA EM VEÍCULOS NOS ESTACIONAMENTOS: Outro ponto citado também, fora o que se vê de propaganda política partidária, nos estacionamentos dos colégios – óbvio, se resguardando o direito de livre manifestação, porém, contido os excessos – visto que está o Brasil, em período pré-eleitoral: “Nós vamos receber ainda nesta semana, como que nós vamos nos posicionar – nós, e todos os professores, em relação a esse processo eleitoral. E daí, veremos o que nós poderemos ou não, fazer. A gente sabe que dentro do colégio, dentro do pátio do colégio, a gente não pode estar com nenhum tipo de propaganda. Não sei como vai ficar, porque até então a gente podia usar alguma coisa na roupa, mas, estamos aguardando, porque neste ano, nós temos algumas mudanças”

PALAVREADO, PALAVRÕES POR PARTE DE PROFESSORES EM SALA DE AULA: Mais um foco foram denúncias de professores com excesso de palavreados inapropriados em sala de aula, como gírias com palavras de baixo calão, e até mesmo, palavrões, aonde se algum aluno questiona, este é colocado em situação vexatória, tanto pelos colegas, como pelo docente. Novamente a chefe disse que situações assim, têm que chegar até o NRE. Admitiu ela, que se escutam que existem situações como essas, mas, que sem que haja uma denúncia formal, a instituição que rege a Educação estadual, fica de mãos atadas para tomar providências: “Não precisa ter medo! Nós não vamos expor ninguém! Eu não acho correto que um professor fale palavrões, eu não acho correto que professor use de subterfúgios ai, para conseguir coisas que não são corretas! Ai a gente trabalha muito encima disso! Eu converso muito com os diretores”. Ela lembra que é professora já há muitos anos, e tem por hábito, o respeito ao Magistério, e especialmente, aos alunos, e que a maioria da classe é assim, mas, “tem um ou outro, que está fazendo desta profissão, um bico e isso é muito doído para a gente, e isso, ele vai ser em qualquer lugar! Ele desrespeita aluno... ele desrespeita qualquer pessoa! Em qualquer classe tem esse tipo de pessoa”.

Acrescentado pelo Oberekando neste momento, denúncias de assédio sexual e moral que partam de professores, também devem ser denunciadas à Ouvidoria do NRE de TB. No entanto, cabe ponderar a responsabilidade quando feito isso, pois se existir maldade explicita em denegrir um profissional, - e isso for evidente -, também existirão consequências legais ao denunciante, se isso for provado!

 

GRUPOS DE AMIZADES DE EX-ALUNOS DAS INSTITUIÇÕES

s

Existe uma intenção que se arrasta, por exemplo, dos alunos formandos do ano de 1981, da então, Escola Presidente Vargas – Colégio Estadual Presidente Vargas – atualmente, em fazer um encontro destes, para relembrar este importante elo, que formou cidadãos e estudantes que guardam em seu coração, as melhores lembranças da Unidade Polo. Perguntado, o que isso significa ao NRE, disse ela, que muito positivo, pois podem, naquilo que se tornaram os então alunos daquela época, professores, médicos, jornalistas, dentre outros, mas acima de tudo, pessoas íntegras – como hoje as atuais turmas que se formam buscam – serem espelhos a nova geração de alunos que lá estejam.

A professora Sueli informou do momento da Educação na região, e no que concerne ao NRE, que está indo muito bem: “Nós temos várias plataformas que o governo criou. Eu acredito nelas!”, citando a de Redação, de Inglês, de Matemática: “Nós estamos num momento, em que a tecnologia não é para amanhã... é pra hoje”, ao enumeras os vários programas do governo, neste sentido tecnológico. Martins exaltou esses ganhos, pela gama de ótimos professores existentes: “É por isso que estamos conseguindo conquistar, os nossos objetivos”.

Ela impulsionou a campanha Tem aula, estou dentro”, como forma de que os alunos retornem ao ambiente escolar, “e que os pais, vejam a necessidade da escola para seus filhos. Nós precisamos dos filhos dentro de sala de aula! Não existe aprendizado se eles não estiverem dentro de sala de aula”.

A entrevista foi encerrada com uma homenagem à aluna Thayse Sachs de Meira, que foi contemplada pelo programa Ganhando o Mundo, e ao lado de mais três estudantes, fará o intercâmbio para a Nova Zelândia. As demais estudantes destaques são de Ortigueira, Reserva e Curiúva. No ano passado, este mesmo programa do Governo do Paraná, levou três estudantes ao Canadá, dentro do NRE de TB. Eram quatro, mas houve uma desistência!