ONLINE
16




Partilhe esta Página

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

A

S

D

C

S

s

 DRTE 

D

 MDA

S

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

S


EDE PUKANSKI E A SAÚDE EM TB
EDE PUKANSKI E A SAÚDE EM TB

Secretário recebeu o Oberekando na manhã desta quarta

s

2018-10-31 às 15:50:10) Na manhã desta quarta-feira, véspera de feriado prolongado em Telêmaco, o secretário municipal de Saúde, Edemilson Siqueira Pukanski, Dr. Ede Pukanski, foi o entrevistado do Oberekando. Muitas conquistas e em todos os setores de sua pasta, e projetos que estão sendo trabalhados e outros que serão disponibilizados à população.

“Dr. Márcio sempre teve uma vida dedicada e pautada ao SUS, e sempre trabalhou atendendo à nossa população, e agora como prefeito ele está dando todo apoio necessário para que nós possamos desenvolver nossas atividades frente à Secretaria de Saúde e com isso, poder atender a nossa população e nós sabemos dos desafios que é a questão da saúde pública, porque infelizmente temos uma crise social e um número muito grande de desempregados, e tudo isso acaba refletindo no atendimento referente ao SUS”, porque disse ele, nunca a demanda é o suficiente para atender às necessidades da população, retrato do País.

Enquanto que o recomendado em Saúde deve estar em 15% de investimento do orçamento, em Telêmaco este índice projetado para 2018 este está em 23%.  Entre o ano passado e este ano, serão 100 milhões investidos nesta área. O aumento das necessidades, maior, não tem acompanhado o que se tem de receita, e com isso, explicou, o Dr. Márcio tem que definir prioridades.

 

SERVIDORES: A Faculdade Pequeno Príncipe foi contratada para capacitação dos profissionais da Saúde, com qualificação e aperfeiçoamento, dando condições para que eles possam atender bem à população. Um programa de integração entre os colaboradores das UBS´s é outra ação. Nos laboratórios também, que atendem à prefeitura, Márcio tem feito “rondas” e observando como está o atendimento aos pacientes.

 

CENTRO DE ESPECIALIDADE: Neste ano, 2 milhões e 300 mil, investidos, o que equivale, informou, à duas vezes e meia a dois anos atrás.

 

ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO E CEO O trabalho do Dr. Paulo Marcelo Nocêra, como chefe da Seção de Atendimento Médico Odontológico foi citado e a descentralização deste, que está se dando. Foi implantado atendimento odontológico na Área 6, na Vila Isabel, e mais recentemente, na UBS do Bela Vista. Já fora chamado, no que assuma suas funções, também o dentista para o Jd. Bandeirantes: “Com isso, seguindo nosso planejamento, ficaremos somente com a Marinha sem esse atendimento, mas estamos trabalhando e colocando esta necessidade, para o prefeito”, que o tenha, disse o secretário. É provável que isto seja sanado no começo do ano que vem.

Uma questão principal, em todas as áreas de Saúde e preponderante na odontológica, é a prevenção, e nisto está sendo investido. Nas escolas, sobretudo, esta iniciativa tem muito avançada.

Para ele, que também é dentista, e Dr. Paulo, era necessário primeiro estruturar-se o básico na área odontológica e nas escolas, para depois se partir para um atendimento especializado, que é o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO). Este funcionará no prédio ao lado do Correio, visando próteses e periodontia, por exemplo. Pukanski disse que está se estudando o início do CEO, antes mesmo que este prédio seja reformado, aproveitando-se da estrutura da UBS Centro.

 

EXAMES: Outro fato está sendo a efetuação dos pedidos de exames direto nas UBS´s quando da consulta do paciente. De dois laboratórios prestadores de serviços anteriormente, hoje totalizam-se cinco. A implementação do sistema de informatização das UBS´s e a adoção dos protocolos de atendimentos trarão um maior controle - no por vezes -, excesso de pedidos de exames. Muitos são pedidos e da mesma forma, não são retirados pelos pacientes que os solicitaram: “Este número é muito grande, sendo em torno de 20 a 30% dos pedidos”. A adequação do prontuário eletrônico, certamente sanará esse problema pois o exame deverá ser acrescentado neste, tão logo o laboratório faça a liberação.

 

UPA: Este setor é um serviço de urgência e emergência e até por uma questão cultural arraigada, nacionalmente, tem-se uma demanda em torno de 30% dos atendimentos lá, que poderiam os pacientes ter procurado nas Unidades Básicas de Saúdes. “Em 2016 foram atendidas 35 mil pessoas na UPA e em 2017, 41 mil e a previsão para 2018, são 48 mil pessoas”.

 

HOSPITAL REGIONAL: Citado pelo Oberekando, mesmo sabendo que é uma obra do Governo do Estado, como uma novela, mas que o secretário disse achar estar no final. Em geral, quando necessários atendimentos materno-infantis hoje, os bebês são encaminhados para Campo Largo e mais que gastos financeiros, Ede lembra o sofrimento que isto causa para as mães: “E o Hospital Regional funcionando, nós teremos esse atendimento mais humanizado!”. Para o ano que vem, já estão se estreitando os contatos com o novo governo, pois conforme Pukanski, “não se pode aceitar o que está acontecendo, de um investimento grande e que não reflita em atendimento à população”. Não é, segundo ele, intenção vender falsas ilusões à população e nem é divulgado devido a isso, mas silenciosamente, os contatos e cobranças têm sido direcionadas por Telêmaco, a quem de direito. Todos os esforços estão sendo feitos, e a prefeitura cobrou os deputados, e se isso não tivesse sido feito, a situação estaria ainda menos amenizada. “Se não fosse o envolvimento do prefeito, provavelmente nem o espaço físico estaria concluído”. A prefeitura colocou recursos, a exemplo de, desde o início da obra, a começar pela doação do terreno, e mais recentemente, pavimentação do espaço.

 

MORTALIDADE INFANTIL: Em todo o Brasil, na volta do crescimento da mortalidade infantil, Telêmaco Borba não está imune. Ede citou, num sistema tripartite (União, Estado e Município) para custear a Saúde, que se realize na prática o que o presidente eleito nesta semana, de que “Menos Brasília e Mais Brasil” se confirme, defendendo que os recursos têm que vir aos municípios, que é aonde a população vive e aqui é que ela precisa ser atendida. Dos gastos de 55 milhões neste ano, 80% são recursos do município”, informou.

 

ANTIGO PAM SERÁ ESPECIALIDADE: Onde hoje funciona o Centro Regional de Especialidade será implantado o ambulatório do Erasto Gaertner, e na parte superior onde era o Pam, funcionará o Especialidade. Um investimento superior à 400 mil reais e um espaço amplo, e mais adequado.

 

ONCOLOGIA: O superintendente do Erasto esteve em Telêmaco e recebeu a planta do local, aprovando-o. Algumas adaptações e investimentos serão necessários e o prefeito Márcio, conforme Pukanski, de pronto deu sinal positivo.   Ontem mesmo Ede esteve em Curitiba tratando desta pauta: Uma unidade descentralizada deste hospital já está funcionando em Irati, outra se dará em Paranaguá e a próxima, conforme planejamento, será Telêmaco. Isso é importantíssimo, citado o número de 60 pessoas atendidas pela oncologia, especializada em câncer. Mais um ônibus será disponibilizado em dezembro para atendimento fora de domicílio: “Estamos tentando melhorar isso, mas melhor mesmo é a pessoa ser atendida aqui em Telêmaco e é o que estamos procurando!”. Outro micro-ônibus de 22 lugares foi comprado e ontem foram licitadas mais duas vans, e isto visa também atender para que os pacientes que terão atendimentos um pouco mais tarde em Curitiba não necessitem sair pela madrugada, por exemplo.

O secretário agradeceu ao Dr. Márcio pela liberdade que tem, para desenvolvimento dos projetos: “Se não tivesse o apoio efetivo do prefeito, muitas das nossas ações não seriam realizadas”, ressaltando o carinho dele enquanto profissional da área medica, sempre atendendo aos pacientes do SUS, e hoje com a incumbência de prefeito, ele não nega atenção e uma palavra de carinho aos que nesse sentido, o procuram.

Alguns tópicos que finalizaram o bate-papo, foram a lembrança pelo entrevistado de que está sempre à disposição da população na sede da Secretaria, no antigo prédio da Pavel. A obrigação também do cidadão na mudança de alguns hábitos relacionados à Saúde - preconizada pela Constituição como direito dela e dever do Estado -, é outro fator, quando se lembram as campanhas de vacinações, ações preventivas, hábitos alimentares e de combate, por exemplo, à dengue, conservando limpos seus quintais e terrenos, impossibilitando ao aparecimento de criadouros do mosquito Aedes.