ONLINE
19




Partilhe esta Página

d

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

A

S

D

C

S

s  

D

 MDA

S

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

S


Dia 16: 2º Festival de Pipas de TB
Dia 16: 2º Festival de Pipas de TB

Neste ano, evento será no Parque da Cidade

FONTE: PMTB

d

2018-09-04 às 07:32:03) A Secretaria Municipal de Cultura, Esportes e Recreação (SMCER), por meio da Divisão de Recreação Orientada, abriu nesta segunda-feira, dia 3 de setembro, as inscrições para 2º Festival de Pipas de Telêmaco Borba.

O evento acontecerá no dia 16 de setembro, domingo, às 13 horas, no Parque da Cidade.

Haverá premiação para a menor e a maior pipa, a mais criativa, a que voar mais alto e para o participante de menor e maior idade.

As inscrições podem ser feitas antecipadamente na sede da Divisão de Recreação, anexo ao Centro Cultural Eloah Martins Quadrado (Casa da Cultura), de segunda à sexta, das 8h às 11h30 e das 13h às 17h30, ou até mesmo no dia do evento, no local, no máximo até as 13 h30.

Para mais informações sobre o 2º Festival de Pipas, uma relização da Prefeitura de Telêmaco Borba, ligar para o telefone (42) 3904-1521 com o Anderson Rogério Wendt (Bello).

Atenção: não será permitido o uso de cerol, tal prática é considerada criminosa

 

CEROL É CRIME!

Cerol é o nome atribuído a uma mistura de cola com vidro moído (ou limalha de ferro) que é aplicado em linhas de papagaios, também conhecidos como pipas.

O cerol é aplicado diretamente na linha que será usada para empinar a pipa. A cola serve como aglomerante, enquanto o pó de vidro ou Ferro serve como abrasivo. O resultado é uma linha extremamente cortante, que pode trazer riscos (inclusive de morte) para quem aplica e para quem usa a linha com cerol. Além disso, as linhas com cerol trazem riscos para a vida selvagem (em especial pássaros), para pedestres, motoqueiros e motoristas de carros conversíveis.

No Brasil, nos meses que correspondem aos períodos de férias escolares, é comum a realização de disputas entre as crianças para ver quem consegue cortar a linha do papagaio do outro.

O cerol tradicional é uma mistura de pó de vidro (normalmente de bulbos de lâmpadas) com cola, porém existem também várias modificações do cerol. Uma delas é substituir o vidro por pó de ferro, que é facilmente adquirido em serralherias.

A fusão do ferro pelo maçarico deixa cair no chão um minúsculo pó, que, com o tempo, vai se criando no local uma vasta massa de pó. Esse material é retirado por vendedores de cerol e por pipeiros regularmente fora dos olhos da polícia.

Esse material é misturado a cola-de-sapateiro ou cola de madeira. Por causa da presença do ferro, as linhas impregnadas com esta variante de cerol conduzem a eletricidade facilmente. Basta um único contato da linha com os fios de alta tensão para que a pessoa seja eletrocutada. Mesmo sendo mais perigosa, a mistura com pó de ferro é menos utilizada do que a mistura feita com vidro

 

ACIDENTES

Muitos acidentes fatais ocorrem com motociclistas que passam por áreas onde crianças e adolescentes empinam papagaios. Geralmente nos casos fatais, é o pescoço do motociclista ou pedestre que entra em contato com a linha de pipa com cerol. São também vítimas do cerol: aeronaves, pedestres, ciclistas, motociclistas, paraquedistas, skatistas e outros.

Atualmente, em alguns municípios brasileiros, existem leis que proíbem o seu uso e venda. O vendedor de cerol pode ser preso, além de pagar multa.

 

LEI 16246 - 22 DE OUTUBRO DE 2009

Publicado no Diário Oficial nº. 8082 de 22 de Outubro de 2009.

Súmula: Proíbe a fabricação e a comercialização da mistura de cola e vidro popularmente conhecida como cerol, bem como qualquer outro produto cortante que possa ser aplicado em pipas ou papagaios.

A Assembleia Legislativa do Estado do Paraná decretou e eu sanciono a seguinte lei:

Art. 1º. Fica proibida a fabricação e a comercialização da mistura de cola e vidro popularmente conhecida como cerol, bem como qualquer outro produto cortante que possa ser aplicado em pipas ou papagaios.

Art. 2º. O descumprimento do disposto nesta lei sujeitará os responsáveis ao pagamento de multa no valor de 500 (quinhentas) UFIRs.

Parágrafo único. Em caso de reincidência, o valor da multa a que se refere o caput deste artigo será dobrado.

Art. 3º. Para seu fiel cumprimento, esta lei poderá ser regulamentada pelo Poder Executivo.

PALÁCIO DO GOVERNO EM CURITIBA, em 22 de outubro de 2009.

Fonte -www.bombeiros.pr.gov.br.