ONLINE
6




Partilhe esta Página

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

A

S

D

S

D

S

s  

D

 

MDA

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

A


ANINHA BASTOS: De Tibagi para Araraquara

Atleta se despontou na AVTB e falou do novo desafio ao Oberekando

2019-03-11 às 10:58:08) Esta semana é decisiva na vida da jogadora de Vôlei, Ana Carolina Bastos, que em quadra, é chamada de Aninha. Em Telêmaco Borba, se despontou pelo Colégio Positivo e AVTB. Neste período mais recente, defendeu várias equipes e jamais ficou de fora daquilo que mais ama.

Nascida em 24 de agosto de 2001, portanto, aos 17 anos, está de malas prontas para iniciar uma nova jornada na paulista cidade de Araraquara, onde atuará como Ponteira e Central.

 

SURGIMENTO DELA NO VOLEIBOL

A paixão veio da escola, no Colégio Estadual Irênio Moreira Nascimento, onde via suas amigas jogarem e foi achegando-se. Sua prima, Maria Stadler, foi quem a incentivou, por volta de 2010. Outra prima, Helen, também compôs essa trajetória! Bastos treinava no time da base, em Tibagi, com a professora Isabela Petroski. Após começar a treinar e jogar, “comprei a minha primeira joelheira, e me senti, a jogadora! Me senti a Fernanda Garay, digamos!”, lembrou ela.

Veio a oportunidade e na Capital do Papel, o primeiro campeonato, a Liga de Voleibol do Paraná: “Foi muito bom. Uma experiência totalmente diferente da que eu estava tendo, e foi nisso que eu consegui meu primeiro prêmio, e logo passei a representar a cidade de Telêmaco Borba”.

 

AVTB NA SUA VIDA

Já teve Aninha passagens por outras equipes, mas disse que compor a AVTB a fez crescer muito: “Tanto no psicológico, como no Vôlei. Agradeço muito ao Aldori, Neri, Ovídeo, e Poing, por todo apoio que eles me deram. Tanto que eu consegui ir para a seletiva da Paranaense, através da AVTB”. Quanto a estudar no Positivo, que foi a porta de entrada ao Vôlei em Telêmaco, confessa que foi puxado devido a diferença de grade curricular, mas, extremamente importante para ela, até por ser uma experiência diferente.

 

FAMÍLIA: A BASE, E GRATIDÃO À DONA ÉRICA

A atleta ressalta na família, o apoio especialmente da sua mãe, Érica Fernanda Ribeiro, da avó e de sua tia. Quanto a mãe: “Toda a gratidão do mundo eu devo a ela, e ela sabe que eu estou indo atrás do meu sonho. Por mais que a distância vá ser complicado até adaptar-se, mas é para eu dar um futuro melhor pra ela, e ter um futuro melhor pra mim. Estou indo em busca de um sonho. De uma experiência totalmente diferente para a minha vida, e com toda certeza, isso fará bem pra mim, e nenhuma palavra vai explicar o amor que eu sinto por ela, pela minha família e pelos meus irmãos”.

 

VÔLEI

“O Vôlei para mim, é sem explicação. Toda minha paz eu encontro numa quadra de Vôlei. Cada cidade, cada professor, me fez crescer de uma forma, e se hoje eu estou indo para Araraquara, é porque todas essas pessoas fizeram parte de minha jornada. Sou eternamente grata por onde eu comecei. Comecei do zero, sem saber nada. Tudo que está acontecendo se resume na palavra ‘Gratidão’”.

Ela disse que não pode esquecer de agradecer primeiramente a Deus, pela oportunidade. Também à psicóloga Daiane, que por mais que ela esteja distante “é uma pessoa que eu sei que eu posso contar sempre, pelo fato da paz que ela me transmite e pela pessoa que ela é também”.

O primeiro campeonato que Aninha disputará, será no próximo mês.