ONLINE
11




Partilhe esta Página

ACITEL

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

A

S

D

S

C

S

D

S

s  

D

 

MDA

A

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS


André Coraiola preside o Conselho Mun. de Saúde
André Coraiola preside o Conselho Mun. de Saúde

Com a mesma função no IDF, falou da nova incumbência e das expectativas com novo governo

s

2019-01-03 às 19:10:14) O advogado André Miguel Coraiola, que preside o Instituto Doutor Feitosa (IDF), assumiu a também presidência do Conselho Municipal de Saúde de Telêmaco Borba. Ele, no final da manhã desta quinta-feira, falou ao Oberekando sobre o novo desafio.

“Estamos encampando uma nova filosofia de atividades que é a presidência do Conselho Municipal de Saúde”, tendo Jorge Pacheco como vice-presidente e Ana Paula Mori Carrilho como secretária. “Fomos eleitos por aclamação, não houve bate-chapa, não nos oferecemos, fomos indicados, e quase que obrigados a aceitar esses cargos, e aceitamos porque conhecemos o sistema de saúde como funciona, os meandros da Saúde Municipal, as necessidades da Saúde Pública, de sorte que não será um peso, e sim uma satisfação”.

Por julgamento próprio disse entender que a Saúde Pública Municipal está andando, com algumas deficiências e que são naturais pelas demandas que existem, como por exemplo, o número insuficiente de médicos, “mas isso não é só aqui! Isso é em qualquer lugar do Brasil!” causando assim o desparceiramento de algumas equipes.  Epigrafou que a população é atendida, em todas as idades e suas condições, e que o município é muito equânime e equitativo em relação a isso, e que tem uma gestão pública que não escolhe e nem prioriza, elogiando o fim do fura-fila na cidade, até em função do próprio Conselho, tendo inclusive sido membro da comissão responsável a detectar isso.

Respondendo se o fato de se ter um prefeito que é médico e ele (o entrevistado) como presidente de um importante estabelecimento de saúde presidindo o Conselho, é um fator a mais dentro desta área, disse que sim, porque a Saúde Pública tem que ter a participação das entidades e tem que haver uma questão paritária do usuário, pois “ela não deve ser construída encima de opiniões vazias. Saúde Pública é uma técnica. Se ela sair dessa realidade técnica, de quem conhece essa realidade em saúde, ela se perde... ela se desingringola realmente e bota a perder, de fato, a população. Um prefeito médico, um secretário municipal de Saúde que é odontólogo, e diversos profissionais de Saúde dentro do Conselho, e eu como diretor presidente do hospital, estar presidindo o Conselho, nós estamos enxergando a Saúde, sob um prisma de Saúde”.

 

CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE

Rememorou-a como foro próprio para a eleição dos conselheiros de Saúde para os próximos quatro anos, seja daqueles que podem buscar a reeleição, ou aos novos, “dentro de um segmento paritário entre prestadores de serviço, usuários e gestores públicos”. Continuou: “Eu devo dirigir os serviços da Conferência. Vai ser um evento muito transparente, participativo. Não vou tolerar ingerência política de ordem nenhuma, de sorte que vai ser composto esse Conselho por quem de fato deva dele participar, sem viés de ordem externa nenhuma”.

 

FALA DE POSSE DO MINISTRO DA SAÚDE

Respondendo ao Oberekando de como viu o discurso de posse do novo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, André recebeu como perfeitamente coerente, e em ressonância “ao nosso discurso”, ao discurso dos hospitais, porque a atenção básica, no local onde vive o cidadão, ela é muito mais eficiente, e citou as razões: “É fundamental que realmente exista uma descentralização da Saúde, que este dinheiro seja gerido pelo prestador de serviço propriamente dito, em que pese eu não tenha nenhuma crítica a fazer ao Ministério da Saúde e ao Estado do Paraná, porque ainda que o Sus pague de forma defasada, há 15... 20 anos, eles pagam em dia!”.

 

TERCEIRIZAÇÃO DA UPA

Na condição de presidente do Conselho, foi tratado com ele da terceirização da Upa, esclarecendo que o que foi apresentado pela atual administração e autorizado pelo Conselho, fora tão somente o projeto e o estudo para tal, e segundo o presidente, “uma análise da viabilidade econômica, da viabilidade funcional e viabilidade territorial dessa iniciativa”. Ele considera que “se de fato não trouxer uma economia para o município, com uma prestação de serviço mais eficiente, acho difícil que o Conselho aprove isso!”.

 

IDF

André comentou quanto a eleição de Ratinho Júnior ao governo do Estado, e também de Sandro Alex, que foi nomeado como secretário estadual de Infraestrutura e Logística, e que, ainda na qualidade de deputado federal, conseguiu recursos para mais dez UTIs no IDF.

RATINHO: As expectativas quando ao governador são as melhores: “O Ratinho é jovem, inteligente, preparado e tem conteúdo, e se cercou de gente de primeira categoria. Gente que já veio do governo anterior, que se elegeu deputado como é o caso do ex-secretário Michele Caputo, que teve meu apoio e é um grande articulador na área de Saúde e entende o que é o terceiro setor na área de Saúde. Nós somos enxergados! Nós somos convidados a participar de discussões a nível de governo. Eu digo a você que é um momento premiado sob todos os aspectos, porque nós conseguimos enxergar uma ressonância das nossas expectativas por parte dessas questões de governo, que são muito bem tratadas e acompanhadas.”

SANDRO ALEX: Quanto à Sandro, o compromisso das UTIs já está empenhado, e também “o IDF tem que buscar adequar o seu espaço físico para poder receber esse investimento. Vai acontecer! O IDF é o hospital da família do Vale do Tibagi, sempre foi, e assim permanecerá!”.