ONLINE
8




Partilhe esta Página

S

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

A

S

D

C

S

s  

D

 

MDA

s

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

S


ALINE SLEUTJES VOLTA A TB AGRADECER A VOTAÇÃO

Deputada federal eleita, esteve com Dr. Márcio, deu entrevistas, encontrou Gibson e foi à Câmara

Aline Sleutjes, deputada federal eleita, concedeu entrevista na tarde desta segunda, ao site Oberekando. Ela, do PSL obteve 33.628, sendo de Telêmaco, 1.183 destes. Na Capital do Papel. a coordenação de campanha e agora assessoria está sendo feita por Camilo G. Campos.

 

HISTÓRIA CONSTRUÍDA DE TRABALHO, DESDE CEDO, E SINAIS PRECOCES DA VOCAÇÃO DE LIDERANÇA

Com oito anos, ela ajudava o pai a entregar leite. De 14 para 15 anos, seu primeiro emprego, de fato, como secretária da academia castrense, Power Sport. Após passar em Educação Física, já começou a trabalhar como estagiária nas escolas municipais, fazendo ruas de lazer e eventos. No ano 2000 começou a trabalhar em escolas como professora e treinadora, e coordenadora de Esporte, e daí, teve sua primeira experiência política: “Me convidaram para sair a vereadora em 2000, e me faltaram 75 votos”. Até aquele momento ela não se via como política, mas a vida inteira, sempre exerceu certa liderança: Capitã de time, presidente de grêmio estudantil e chapa de associação de moradores... “eu já tinha uma liderança natural, mas não identificava isso como uma liderança política”.

 

VIDA PÚBLICA

Depois dessa primeira disputa, foi convidada para ser coordenadora municipal de Esportes, e assim foi por três anos. Seguiu-se mais um ano como ouvidora. Saindo novamente como vereadora, foi a única mulher da Câmara e nesse período, disse que optou por exercer por completo como legisladora, em detrimento de lecionar, para atender integralmente a população e demandas. Em seguida, concorreu a vice-prefeita, não conseguindo, e voltou a Educação e atuou na área administrativa, como coordenadora e diretora de escolas. Em 2012, foi a vereadora mais votada em Castro, tendo sido eleita vice-presidente da Casa de Leis, e após, veio sua candidatura a deputada estadual. Novamente, voltou à Educação, tendo sido coordenadora e depois diretora, do Sepam.

 

DESTINO OU PROVIDÊNCIA?

Ela, nas últimas eleições gerais, foi como candidata a deputada estadual, a mais votada do partido, a mais votada da coligação, mas não conseguiu se eleger. Estava marcado no destino, para que fosse a algo maior, certamente! “Na época meu partido não fez legenda. Foi como ganhar o campeonato e não levar o troféu. Mas eu tenho certeza que eu fiz o meu melhor”, relacionando-se para a ocasião, a equipe de trabalho e a consciência que se fosse naquele momento para ser o melhor para ela, para Castro, de onde é natural, e para a região, que o projeto desse certo.

“Iniciar com um mandato, não para estadual, mas federal, é sem dúvida alguma, uma grande possibilidade de alavancar o nome, possibilitar alavancar a nossa região com grandeza, e conseguir realmente resolver problemas muito amplos, de fazer o melhor, e de que a política pode ser feita de uma forma honesta, de uma campanha simples, de voto a voto, de olho no olho. Acredito que era realmente para mostrar para a população que as coisas podem ser diferentes do que estavam vindo!”.

Ela é filha de pai holandês, que entre um e dois anos de idade, chegou ao Brasil como imigrante. Os Sleutjes, não somente em Castro, têm ligações com a agropecuária, área leiteira e agrícola, com muito trabalho e legado.

 

ENCONTRO COM CAMILO

O conhecimento com Camilo vem desde as ações do Movimento Familiar Cristão (MFC) do qual ela fez parte, e que inclusive, a sua irmã, Ângela e Glausco, assumirão liderança em nível Paraná. Na época de Camilo candidato a vereador, Aline lembra que teve oportunidade de gravar um vídeo de apoio a ele, “por conhecê-lo, por saber de sua competência e da sua qualidade e por consequência nossa amizade foi se estreitando e quando eu lancei minha candidatura, a primeira coisa que me passou pela cabeça!”, por sua carreira e seu conceito na cidade

 

GOVERNO E FILOSOFIA DE BOLSONARO

Perdeu-se muitas coisas, segundo ela, como patriotismo, civismo, respeito aos professores, e hoje se vê um descrédito quanto aos valores e respeito, não só relacionado quanto aos professores, como aos pais e aos mais velhos. Às vezes, a forma dele falar, dói um pouquinho no ouvido daqueles que se acostumaram com “o jeitinho, com o mi mi mi político, com o tudo pode, com o vamos ver, o isso é bom, com o não vou falar isso porque magoa, não vou dizer isso porque pode afrontar!”. Ela confessa, inclusive, que teve vontade parar, depois de “duas derrotas muito difíceis, politicamente”, falou: A de deputada estadual e em seguida, como candidata a prefeita de Castro, nesta, disputando com o ex-prefeito da época e também, com o, a seu tempo, vice-prefeito. Voltou para área de Educação, depois veio um convite para trabalhar na Alep, e nisso ela viu sua missão e que ainda não havia acabado o seu trabalho e que ali era, talvez, o começo do melhor projeto. As divisões de classes e pessoas, vistas nos últimos anos, citou Aline, só enfraqueceram nossa sociedade, e que não trouxe benefícios para nós de nenhuma forma: “Isso só trouxe benefícios para os poderosos, porque quanto mais dividida a sociedade está, mais fácil de ser manipulada!”.

A favor da redução da maioridade penal, uma lei mais abrangente que garanta a segurança da população e que dê mais segurança aos policiais é também bandeira de Sleutjes.  

 

PROFESSORA COMENTA A DOUTRINAÇÃO NAS ESCOLAS

A deputada disse que está em tramitação o projeto Escola Sem Partido e que a esquerda tem feito um carnaval em torno deste tema, dizendo que se vai amordaçar os professores ou proibi-los de falar o que pensam: “Gente, eu quero dar um recado agora aos alunos e aos meus colegas professores: ‘É mentira! É mentira!’. O projeto Escola Sem Partido está simplesmente tirando a doutrinação política de dentro da escola”. Que aquilo, de direita ou esquerda, que esteja na apostila ou livro, por exemplo, seja falado ao seu aluno, mas que não haja a doutrinação! A deputada eleita lembrou também a questão de gênero e do ensino prematuro às crianças, de sexo nas escolas. Os alunos estão lá para aprender o trivial, como português, matemática, e demais disciplinas, e seus direitos e seus deveres.

Aline passou a segunda-feira em Telêmaco, conhecendo, se colocando à disposição, reuniu-se com o prefeito Márcio, com o ex-prefeito Luiz Carlos Gibson, e no final da tarde esteve na reunião da Câmara. Nesta terça, estará em Curiúva e tem buscado visitar muitos municípios da qual fez votos. Ela, inclusive, leva do Legislativo de Telêmaco, onde teve espaço para falar aos vereadores, elogio de que, mais que ter votos, foi a primeira a voltar para agradecer. Dos 399 municípios, teve votos em 370. O dia dela foi também, de atenção aos meios de comunicação de TB. O vereador Marquinhos a acompanhou em grande parte do dia.