ONLINE
35




Partilhe esta Página

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

A

D

S

C

S

S

S

D

S

s  

D

 

MDA

A

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS


A CAPOEIRA NO CENTRO DA CONVERSA
A CAPOEIRA NO CENTRO DA CONVERSA

Com Klécius, Mestres Paulinho Sabiá e Pequinês, o fino trato dessa arte

d

2019-10-17 às 09:23:42) Juntamente com o professor Klécius, - Klécius Dos Santos Silva, ou Sagui, mas na noite do Berimbau Chegou, o formando Sagui, os mestres Paulinho Sabia, do Rio de Janeiro, especificamente, Niterói, e Pequinês, de Goiânia, venceram o cansaço e falaram ao Oberekando, após este evento, na Casa da Cultura, em Telêmaco Borba.

O movimento do Capoeira Brasil, que em Telêmaco tem a coordenação de Klécius, para este acontecimento maior, iniciou as atividades no começo da semana, e culminou na tarde do Dia das Crianças, com a formatura de diversos adeptos a esta arte.

 

PAULINHO SABIÁ E O ENCONTRO, AINDA CRIANÇA, COM A CAPOEIRA

Paulinho conheceu a Capoeira entre seus 8 a 9 anos de idade, e começou a praticar com amigos de rua, “e daí pra frente nunca mais parei!”.  Perguntado aonde a Capoeira já o levou, respondeu, aos cinco continentes, observando que a Capoeira é uma arte global: “Ela saiu aqui do território brasileiro, e está no mundo inteiro!”.

 

O GOIANO MESTRE PEQUINÊS E ESTA ARTE, DESDE OS 10 ANOS DE IDADE

As histórias da vida real na Capoeira se fundem, tendo também Mestre Pequinês, desde quando iniciou a Capoeira com 10 anos de idade, a oportunidade de rodar o mundo.

Brincado com Pequinês, de que ele destoou quando que há a piada de que os pais goianos dão aos seus filhos ao nascer, um violão e por este motivo os maiores talentos musicais são daquela região, falou que de fato há esse destaque musical, mas que sim, a Capoeira lá também vem em alta, além de citar as peculiaridades dessa arte, a exemplo de São Paulo, Sul, Rio, e as demais regiões.

 

KLECIUS, CAPOEIRA BRASIL, E GRATIDÃO AOS COLABORADORES, PAIS E ALUNOS

O coordenador do Capoeira Brasil em TB e que está à frente da Coliseu Top Team Academia, disse que tem muito a agradecer aos seus alunos e também aos pais dos mesmos, que abraçaram o evento junto com ele, “e ficaram preparando toda a alimentação. Não tenho como deixar alguma coisa passar em branco, porque toda a cidade abraçou a Capoeira aqui em Telêmaco. A gente conseguiu, assim como o Mestre Pequinês comentou da cidade dele (Goiânia), a gente já atingiu esse objetivo de ter a Capoeira como um veículo de transformação, uma ferramenta de proteção das crianças. Para mim é o maior repelente que a gente tem no mundo da criminalidade. A capoeira deixa a criança prevenida disto mesmo! A gente consegue amarrar a criança com a gente e de uma forma natural, sem forçar. Tem outros capoeiristas na cidade também, e todos estão de parabéns! A gente sabe que a Capoeira está somando muito para a nossa cidade.”

 

UNÂNIMES NA NECESSIDADE DE MAIOR VALORIZAÇÃO DESTA ARTE NO PAÍS DE ORIGEM

Perguntado à Paulinho Sabiá algo que o marcou nesta caminhada, acrescentou que indo lá fora, a Capoeira “não vai viajando só com a pernada não! Ela leva o idioma, a culinária, leva o samba. A gente leva um pacote grande. E uma coisa que eu fico assim, sempre emocionado de ver, e vejo a repercussão da Capoeira quando eu vou na Europa, seja nos Estados Unidos ou na Ásia, e vejo lá o capoeirista asiático, americano ou europeu, falando português, fluentemente, que aprendeu nas rodas de Capoeira. Isso não tem preço”.

Pequinês, que em janeiro parte para Miami (EUA), mais que citar alguma recordação, deixou uma crítica, de que o brasileiro capoeirista deveria valorizar um pouco mais a sua arte. “Quando eu chego nos outros países, principalmente na Europa ou Estados Unidos, eu vejo a maneira que eles tratam a Capoeira. O professor, o profissional que está ali, está levando a cultura de nosso País”. Para ele, a Capoeira, “que é nossa”, deveria ser mais valorizada, pois as pessoas de outros países a veem com outros olhos”. Um olhar melhor para a história desta arte se faz necessário, em seu entendimento, “porque o pessoal acha que a Capoeira é para a criminalidade, é para negro! Aqui se tem essa visão... é pra pobres! Fora do País o pessoal põem a Capoeira no lugar que ela merece! Eu queria ainda chegar e no meu País, tendo a Capoeira dessa mesma forma!”.

LEIA TAMBÉM:

COM ÊXITO, O BERIMBAU CHAMOU, EM TBEvento, organizado pelo Professor Klécius, trouxe Mestre Paulinho Sabia, dentre outros nomes mundialmente conhecidos na Capoeira

 

KLÉCIUS: AQUECIMENTO PARA O BERIMBAU CHEGOUEvento maior da Capoeira acontece neste sábado às 17 horas na Casa da Cultura. adquira seu ingresso!