ONLINE
6




Partilhe esta Página

ACITEL

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

D

S

C

S

S

S  

D

 

a

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS


18 de Maio – Dia da Luta Antimanicomial
18 de Maio – Dia da Luta Antimanicomial

Direitos das pessoas com problemas mentais são ressaltados

FONTE: PMTB

2020-05-20 às 08:08:37) A data de 18 de maio é marcada por mobilizações em todo o país, quando se comemorado o Dia Nacional da Luta Antimanicomial.

O Movimento da Luta Antimanicomial se caracteriza pela luta pelos direitos das pessoas com sofrimento mental. Dentro desta luta está o combate a ideia de que se deve isolar a pessoa com sofrimento mental em nome de pretensos tratamentos, ideia baseada apenas nos preconceitos que cercam a doença mental.

Este dia faz lembrar que como todo cidadão estas pessoas têm o direito fundamental à liberdade, o direito a viver em sociedade, além do direto a receber cuidado e tratamento sem que para isto tenham que abrir mão de seu lugar de cidadãos.

Através das Leis Federais 8.080/1990 e 8.142/90, foi instituída a rede de atenção à saúde mental, junto com a criação do SUS (Sistema Único de Saúde). As leis atribuíram ao Estado a responsabilidade de promover um tratamento em comunidade, possibilitando a livre circulação dos pacientes e não mais a internação e o isolamento, contando com os serviços de Centros de Atenção Psicossocial (CAPS).

Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) são dispositivos substitutivos e extra-hospitalares destinados a acolher os pacientes com transtornos mentais, estimular sua integração social e familiar, bem como apoiá-los em suas iniciativas de busca da autonomia. Sua característica principal é buscar integrá-los a um ambiente social e cultural concreto, designado como seu território, o espaço da cidade onde se desenvolve a vida quotidiana de usuários e familiares; prestar atenção humanizada e qualificada às pessoas com transtornos mentais, para alcançarem autonomia e independência, resgatando os laços familiares e a inserção social.

O CAPS de Telêmaco Borba foi inaugurado em dezembro de 2006, constituído na modalidade de CAPS I, conforme Portaria 336 de 19/02/2002. A assistência é prestada a população com intenso sofrimento psíquico, que lhes impossibilita de viver e realizar seus projetos de vida. São, preferencialmente, pessoas com transtornos mentais severos e/ou persistentes, ou seja, pessoas com grave comprometimento psíquico, incluindo os transtornos relacionados às substâncias psicoativas (álcool e outras drogas).

Telefones para contato: 3904-1486 – 3904-1824.

--

D