ONLINE
15




Partilhe esta Página

s

DFF

d

ACITEL

s

sr

S

S

S

A

S

s

d

 DRTE 

D

 MDA

s

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

S


JAMIL + GIZELE: AMOR INCONDICIONAL PELA MÚSICA
JAMIL + GIZELE: AMOR INCONDICIONAL PELA MÚSICA

Ela acaba de ser a primeira colocada no concurso da prefeitura para professora de Música, além de estar cursando faculdade desta. O pai, dispensa comentários!

s

2016-06-29 às 18:17:15) Em que poderia dar a união entre um músico, Jamil Fonseca Leite, chamado de maestro pela competência e pelo amor à esta arte, e uma filha que aos cinco anos ganha dele um violino após uma consulta a um professora para ver que instrumento a criança, tinha mais afinidade?

 

A FILHA GIZELE

Ninguém poderia imaginar, que quando a mãe de Gizele Iank Leite pedia para que ela tocasse, essa chorava como se a matriarca, Izilda, tivesse a surrando. “Eu detestava tocar violino!”. Entre sete e oito anos, matriculada em piano e teclado, ela foi melhor, porque via seu pai tocando. Entre 10 e 11 anos, entrou na Banda municipal de Telêmaco Borba: “Ai olhei de cara e falei: é o trombone! Foi amor à primeira vista!”. Ela também toca trompete atualmente, mas para acompanhar seu pai, além de teclado.

Nascida no dia 28 de outubro de 1996, então com 19 anos, chama atenção pelo amor à música, e por, devido toda sua elegância e simpatia, poder ser chamada de “A musa da música”.  Ela foi a primeira colocada no concurso público da Prefeitura de Telêmaco Borba como professora de Música. Fazendo faculdade de Música. Ela é também, pelo IFPR, acadêmica do curso de Física.

 

O PAI JAMIL

A entrada da música na vida de Jamil se deu aos 15 anos, quando comprou seu acordeom 15 baixas. Das muitas recordações que tem, lembrou que o então secretário de Cultura Gilberto Stremel, quando era prefeito Carlos Hugo, o pediu que indicasse um maestro, e este apontou Nedir Salomão. Já, recentemente, nas comemorações dos 51 anos de Telêmaco, foi saudado publicamente por André Luiz Mazzaropi, devido à sua vida e zelo com a música. Retomando a sua história de vida, lembrou que no passado, todas as noites vinha da Mina de Carvão (antigo acampamento da Klabin) para estudar no Miniginásio, onde hoje é a Escola Costa e Silva. Suas caronas eram ou o Dr. Ulisses, ou um dentista, ou ainda algum caminhão que transportava carvão.

De tanto carinho que recebe ao longo de 75 anos e meio de vida, merece destaque a Moção de Aplauso e Reconhecimento concedida pela Câmara Municipal de Telêmaco Borba, em 26 de julho de 2010, pelo relevante trabalho em prol da cultura na cidade. “Agradeço ao amigo Fubá pela homenagem. Nunca esquecerei!”. Fora dele a iniciativa.

s

Nos planos da bela trombonista, mas sem nada ainda de oficial, pode haver a formação juntamente com seus amigos que eram da banda, de um quinteto. Quanto à Jamil, a disposição em dar aulas de música. Competência não falta, diga-se todo o texto acima!

 

Leia Também:

JAMIL: BRILHO DE PAI E FILHA, UNIDOS PELA MÚSICA