ONLINE
18




Partilhe esta Página

D

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

D

S

C

S

S

AWEF

swd

S 

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

X


Neto, de Reserva, pede intensidade na vacinação
Neto, de Reserva, pede intensidade na vacinação

Ele falou sobre o ‘fecha tudo’ e o estado que chegou a cidade, de colapso

sdf

2021-06-05 às 08:47:41) Natural de Reserva, nascido em 25/12/1945, e já tendo exercido o cargo de chefe do Executivo municipal por cinco mandatos, foi entrevistado na manhã de ontem pelo Oberekando, o ex-prefeito Frederico Bittencourt Hornung, conhecido como Neto. O atual quadro que vive a cidade, em detrimento do agravamento pelo Covid19, e o certo fechamento – com o novo decreto, foram os tópicos principais.

Vê ele que quase que tem autoridade e competência para falar da questão do coronavírus, porque administrou quase um ano convivendo com o Covid: “Trabalhei um pouco diferente, as vezes mal interpretado, fazendo política e fazendo saúde, com mais seriedade e com mais responsabilidade, e hoje me preocupa as mudanças que foram feitas, foram feitas de forma errada e em momentos errados. Portanto hoje estou triste com os nossos administradores. Nossa cidade não está bem, e hoje, fecham o comércio. Parece que as pessoas não entendem que quanto mais fechar, quanto mais reprimir as pessoas de trabalhar, é pior!”. 

Ele sugere que a Prefeitura vá até as casas das pessoas que estejam suspeitas para isso detectar, e também que ela assuma os testes rápidos, ou que sejam feitos convênios com as farmácias, ou que se adquira pela cidade, o aparelho que façam testes com muito mais rapidez. Também quanto às pessoas de baixa renda, que a Administração as atenda com cestas básicas: “Deixei tudo isso programado e com recurso, e o dia que alguma pessoa disser pra você que não é verdade, eu estou à disposição da Câmara Municipal e da Prefeitura Municipal, para dizer o que eu deixei feito, e aonde está o recurso”.

Outra indagação de Neto foi a mesma, que segundo ele, os vereadores também já fizeram à atual Administração, que se apresente o relatório das pessoas que já foram vacinadas, pois ele não entende porque esta resposta ainda não fora dada. Pede também que sejam feitas as aplicações das vacinas com mais rapidez, “e se as vacinas chegarem de dia, vamos vacinar de noite, as pessoas!”.

 

ASFALTAMENTO DA PR 160 QUE LIGA RESERVA A IMBAÚ

Frederico conversou com Sandro Alex e Alexandre Curi há poucos dias, quanto a esse asfaltamento da PR160. “Semana passada tive discutindo com a Klabin, porque ainda faltam mais uns 4 quilômetros que é o desvio da cidade”, e por isso, informou, algumas pessoas dizem que ele tem que se desligar da Prefeitura, porque este assunto é do prefeito, “mas ele não faz, ou às vezes está meio tímido ainda, ou está preocupado com a Covid. Nesta questão da pandemia, todos nós estamos! Então, essas coisas que eu tenho mais amizade, eu estou cobrando.  E estou sonhando, e queria ainda, ver essa estrada começada!”.

Do relacionamento que sempre teve, cordial, com a Klabin, disse que tanto com ela, como com autoridades estaduais e federais, tem feito contatos, que não são interferências, mas de certa forma, epigrafe-se, é o saldo da credibilidade por ter pela cidade, sido cinco vezes seu prefeito.

O pós-covid é outro ponto citado por ele, quando chama esta doença de “bandida”, por também deixar “resíduos”, ou seja, logo após a cura do coronavírus em si, infelizmente notam-se anomalias nos rins, pulmões, dentre outros órgãos, e para isso, ter já, médicos preparados para esse atendimento, vê como premente. A volta às aulas foi outra lembrança dele, e a preocupação que se isso tardar, Reserva novamente “aumente o analfabetismo”.

Com a responsabilidade que tem o Oberekando como formador de opinião, escutar Neto é uma das alternativas para balizar-se de como está a população, avaliando os impactos do novo Decreto (CLIQUE AQUI E LEIA NA ÍNTEGRA).

Ele vê que o fechamento tornará ainda mais sombrio o clima de, com suas palavras simples ‘enferrujar’ a população, já tão assolada do ficar em casa tão propagado, ao invés sim, de enrijecer a fiscalização e ter um contato mais olho no olho com as lideranças sociais, igrejas e especialmente empresariais, no estrito cumprimento das medidas sanitárias e epidemiológicas, ao invés do ‘fecha tudo’.

Ao final da entrevista, foi feito instante de silêncio em memória a cada vítima do Covid, e também, em forma de agradecimento a cada profissional que está na linha de frente, neste combate, bem como em solidariedade às famílias que têm entre seus componentes, pessoas internadas, ou dentro de suas casas, em isolamento!

--

D