ONLINE
10




Partilhe esta Página

S

DFF

d

ACITEL

s

sr

S

S

S

A

S

s

d

 DRTE 

D

 MDA

s

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

S


21ª: ROBERTO AMATUZZI FRANCO FALOU AO OBEREKANDO
21ª: ROBERTO AMATUZZI FRANCO FALOU AO OBEREKANDO

Diretor da Regional de Saúde abordou temas como o Hospital Regional

S

2018-01-06 às 15:02:23) Roberto Amatuzzi Franco, que pelo Governo do Estado, dirige a 21ª Regional de Saúde, atende sete municípios, que são a sede Telêmaco Borba, Tibagi, Imbaú, Reserva, Ortigueira, Ventania, e Curiúva. Ele recebeu nesta sexta-feira à tarde (05) o site Oberekando, onde num longo e interessante bate-papo (ASSISTA ABAIXO NA ÍNTEGRA), fez um resumo das atividades e não se furtou a respostas, como por exemplo, sobre o Hospital Regional. A relação com os municípios, as verbas liberadas, as parcerias atuais e pretensas futuramente também foram pautadas.

“A Saúde sempre está no discurso de todos os governantes e de todos os políticos, contudo nem sempre encontra reflexo na questão orçamentária, até mesmo porque nós vemos a crise que o país está vivendo, mas desde o início nós vemos o quanto o governo Beto Richa, comandado - e isso tem que se deixar muito claro, além do respeito e conhecimento e a sensibilidade para conhecer os problemas dos municípios”, referindo-se neste sentido ao secretário estadual de Saúde, Michele Caputo Neto: “Me sinto muito privilegiado de além de trabalhar com quem você respeita, também com quem você admira”. Amatuzzi lembrou que o Paraná vem sendo um dos poucos estados onde estão sendo respeitados os investimentos em Saúde dentro dos 12% constitucionais e de uma forma municipalista, “onde os recursos estão sendo utilizados de forma descentralizada”.

O atendimento, o mais próximo possível da residência do cidadão, lembrou ele, é procurado, por três programas estruturantes, através do Programa de Qualificação da Atenção Primária à Saúde (Apsus). Ele lembrou também a não verticalização de benefícios, onde o estado só destinada ambulâncias, por exemplo, mas sim “ele destina recursos de uma forma muito inovadora, onde é de fundo a fundo, onde se desburocratiza e dá agilidade e rapidez ao processo. São recursos que são repassados do Fundo estadual de Saúde ao Fundo Municipal de Saúde, dando principalmente liberdade para que os municípios, os secretários vejam aonde vai ser aplicado ou feita aquisição”.

 

REPASSES EM SAÚDE AOS CONSELHOS PELA 21ª

No dia 20 de dezembro o secretário Caputo estava já despachando e fazendo com que os municípios recebessem recursos já no ano de 2018, informou. Na Regional de T.Borba foram distribuídos R$ 3 milhões e 900 mil reais aos fundos municipais para que com os Conselhos Municipais, decidissem no que isso iria ser aplicado.

 

HOSPITAL REGIONAL

O assunto foi largamente citado com Roberto, que disse que o governo está tomando cuidado para não entregar uma obra sem ela estar acabada, algo que fora tentado se fazer no passado. “O governador Beto Richa e o secretário Michele preferiram pagar o preço da reponsabilidade e estão corrigindo todo mal feito do passado e tiveram todo um trabalho por meio de um levantamento que nós fizemos aqui na RS com a sensibilidade de autorizar um aumento, e não somente o aumento, mas o aperfeiçoamento deste projeto para que tivessem dentro dessa planta, também as unidades de tratamento intensivo (UTI), e principalmente neonatal”. Acrescentou: Somente a população quer mais que o governador Beto Richa e o secretário Michelli, a finalização desta obra!”. A gestão estará a cargo da Fundação Estatal de Atenção à Saúde, que atua em Paranaguá e Curitiba, por exemplo. É intenção que a unidade da Capital do Papel seja protagonista especialmente ao Mãe Paranaense.

 

MUNICÍPIOS DA REGIÃO COBERTA PELO OBEREKANDO

A maior ferramenta para a atuação da Regional, ao olhar de seu diretor, tem como canal os secretários de Saúde destes municípios. Somente para esses setes municípios foram investidos R$ 22 milhões em 2017.

TELÊMACO BORBA, com as reformas do Hospital Regional e repasses dos programas HospSus e ApSus recebeu recursos superiores à 12 milhões. Assim receberam os demais municípios: IMBAÚ: 700.000,00, ORTIGUEIRA: 1.860.000,00, RESERVA: 2.300.000,00, TIBAGI: 1.200.000,00, CURIÚVA: Mais de 2 milhões e VENTANIA: Próximo de 1 milhão de reais.

Imbaú é a cidade natal onde o diretor escolheu para que seus filhos nascessem e deixou muito claro que sim, tiveram apenas diferenças (escolhas) partidárias, - ele em relação ao atual prefeito Lauzinho -, mas que se encerraram quando a eleição terminou e que a Regional de Saúde é muito maior que ambos, e que estão “ladeados e ombreados, trabalhando. Gosto muito e tenho um carinho especial pela secretária Zinda”.

Lembrado a ele, e vindo sua resposta, o fato do vice-prefeito Vantuil, de Curiúva, entender também da área de Saúde por ser sua área profissional a farmacêutica, acaba sendo um auxílio a mais, além de Nato, parafraseado por ele como um “gestor Nato”, além de citar Christiano como secretário de Saúde, que esse já conhecia. Nesse instante Amatuzzi citou a mensagem “muito carinhosa” que recebeu do prefeito de Ventania, Helly (Antonio Helly Santiago) “agradecendo todo empenho da 21ª Regional, ao governador Beto Richa e ao secretário Michelli”, deixando claro a ele que “as vossas conquistas são que fortalecem cada vez mais a RS e nos dá uma satisfação do ‘que bom que nós estamos cumprindo nosso papel’”, quando atribuiu o sucesso também à sua equipe, confessando que ela, por muito tempo esteve desmotivada, e “tendo reencontrado novamente ideais e bandeiras”. Ter alcançado menos de dois dígitos no índice de mortalidade infantil já pelo terceiro ano nos últimos sete, é uma das vitórias da RS, que antes de 2011 era o patinho feio nessa estatística. Mais que estatística, disse ele, o empenho em si, em prol da população.

 

INSTITUTO DR. FEITOSA: Foi elogiada a parceria e o retorno em serviços de qualidade pelo IDF, trazidos. A implantação do HospSus e Mãe Paranaense e recursos com repasse de mais de 1 milhão e 200 mil reais. “Temos o maior respeito com esse parceiro estratégico. Temos um canal de comunicação muito ágil com eles!” Quanto ao Hospital Moura, vê maturidade em uma concorrência não predatória, mas sim positiva, com ganhos à população, na área hospitalar da cidade.

O fácil trânsito de Roberto pelos poderes constituídos de Telêmaco e região facilita seu diálogo para trazer benefícios em sua área, à população. Elis Saldivar, vereadora, foi coordenadora do Centro Regional de Especialidades e o prefeito Márcio, um colaborador por muitos anos da Regional de Saúde e isso facilita em muito o diálogo e o entendimento das necessidades, reivindicações e investimentos com seus direcionamentos, na Saúde.

A unidade de coleta e transfusão foi outro fato citado e o esforço do governo do estado também neste sentido. O apelo para a consciência do ato cidadão em doar sangue foi reforçado pelo diretor da 21ª Regional de Saúde de Telêmaco Borba.