ONLINE
7




Partilhe esta Página

s

DFF

d

ACITEL

s

sr

S

S

S

A

S

s

d

 DRTE 

D

 MDA

s

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

S


Vereador Ezequiel Betim falou ao Oberekando
Vereador Ezequiel Betim falou ao Oberekando

Sua luta em favor, especialmente às pessoas com deficiência, foi foco

s

2017-09-14 às 13:06:15) O site Oberekando inicia uma sessão de entrevistas com os vereadores de Telêmaco Borba que ainda não tiveram oportunidade de uma conversa específica e exclusiva neste jornalístico.

O primeiro é Ezequiel Ligoski Betim, nascido em 07 de fevereiro de 1960, no Bairro Cem Casas na época em que a cidade ainda pertencia à Tibagi.  Seu pai trabalhava na Klabin como empreiteiro, no corte de madeira.

“Aconteceu algo bastante interessante quando estava finalizando meu mandato”, explica, “quando nós perdemos pro Gibson a eleição com Márcio”, e o médico o chamou na clínica e assim o falou: - “Viu Ezequiel, você converse lá com Cezinha e outros vereadores que são amigos, e você ajude o Gibson. O Gibson é um cara honesto, um cara bom. Ajudem ele lá no orçamento para ele iniciar um trabalho bom!”. O vereador confessou que num momento em que se critica a classe política, aquilo o surpreendeu muito a respeito do atual prefeito, Dr. Márcio, alegando o respeitar muito, que o conhece há muitos anos, e logicamente também ao Gibson: “A política tem coisas boas sim. Tem as pessoas que são boas e tem um coração bom e que estão interessadas em ajudar o município!”.

 

ACIDENTE E INCIDENTE. LUTA PELOS DIREITOS DOS DEFICIENTES

Morando em Curitiba lá pelos seus 17 anos, e já tido passado na inspeção para o Serviço Militar onde deveria servir em Ponta Grossa, assim ainda ele tinha como sonho fazer Medicina. “Eu logicamente já acreditava em Deus, mas quando passei por essa situação...”. Uma bala perdida veio numa manhã quando de uma briga de estranhos, e se alojou em sua terceira vértebra. Uma junta de 12 médicos, e seis meses depois, foi desenganado, “e ai que eu falo que Deus entrou na causa e mostrou ao homem que é Ele quem manda na vida!”.  Um ano e meio ele ficaria, vindo da Capital, no Hospital Dr. Feitosa.

Em 2008 o trabalho também a favor das pessoas com deficiência foi uma luta, segundo Ezequiel, especialmente quando envolve gastos (com infraestrutura adequada) que venham por parte da prefeitura. Com Dr. Márcio disse que tem havido sensibilidade.

Quando ele iniciou seu primeiro mandato, sendo esse o segundo, focou-se na Lei Federal 8.213 e seu cumprimento, onde também as pessoas com deficiências têm direito ao recebimento de benefício previdenciário, além da observância das cotas de emprego por parte das empresas: “Temos muitos cadeirantes preparados para trabalhar em qualquer área. Eles só esperam uma oportunidade”.  Em outro momento ele lembrou: “Auxiliar a pessoa com deficiência não é favor nenhum. Ele é filho da Pátria. O Governo Federal é responsável por essas pessoas!”, explicando que é triste para eles, por exemplo, ficar às custas de um irmão, dos pais e sem ter como auxiliar nos gastos da família.

Ezequiel apresentou entre 2008 e 2009 o projeto da Guarda Municipal à Câmara. “Não tramitou porque não era da competência do vereador, mas fiz a minha parte. Sempre cobrei também as câmeras de segurança em todas as escolas”.

Vereador pacifico, afirmou não ter inimizade com ninguém. Finalizou a entrevista dizendo que espera que se acabe essa corrupção “maldita” e que vem de anos e em todas as esferas. “O que mais assusta a gente é quando vemos as pessoas (que deveriam dar exemplo) e aparece o nome lá que o fulano está envolvido”.  Lembrou de suas campanhas de trabalho e sem pegar dinheiro de empresa e que considera ‘sua bancada na Câmara’, como local sagrado e destinado por Deus e que sempre pede a iluminação de Deus a cada documento que assina”.